Evento debate futuro do alimento

Segunda edição em formato 100% digital e interativo reúne empresários, empreendedores e profissionais em outubro

A força da alimentação hiperlocal, a diversidade presente no sistema delivery, a importância do food care, a comida impressa, o conceito de zero desperdício e a reestruturação sustentável de toda cadeia produtiva serão os principais temas em pauta na edição 2020 do Open Food Innovation Summit – maior evento sobre o futuro do alimento. Realizado nos dias 14 e 15 de outubro via streaming em plataforma digital e totalmente interativa, o encontro amplia a conversa sobre as inovadoras soluções, experiências e transformações em um dos setores mais afetados pela pandemia. O evento conta com patrocínio de Tramontina e STIHL e apoio de Sebrae e Unisinos.

Em sua estreita relação com a saúde humana e do meio ambiente, negócios do mercado do alimento tiveram aumento de até dois dígitos durante o isolamento social. A reação do consumidor neste período foi catalisadora para uma série de oportunidades de grande valor em uma cadeia de R$ 30 bilhões de reais ano, somente no Brasil. “O futuro do alimento passará por uma profunda transformação motivada por novos hábitos, pela aceleração tecnológica, novos protocolos sanitários e de saúde global, pela ruptura e reconstrução de toda cadeia produtiva, pelas superfoods e uma nova busca incansável pela sustentabilidade de seus resíduos”, explica um dos idealizadores e fundadores do Open Food Innovation Summit, Matheus Von Mühlen. “O alimento do futuro deve ser saudável para o corpo, sustentável para o planeta e saboroso para as pessoas. O futuro pertence às empresas e pessoas que entregarem esses três fatores em conjunto”, complementa.

A proposta é unir interessados de diversos estados e até de fora do Brasil para uma experiência de debate digital sobre o amplo tema. Em dois dias de evento, serão 30 speakers, 3 mediadores, 2 facilitadores e 1 curador em mais de 36 horas de conteúdo expansível. Entre os formatos estão: 1) Hackathons, maratonas de trabalho para consultores e empreendedores, que serão desafiados a criar soluções envolvendo Rede Hiperlocal e Embalagens Sustentáveis; 2) Trilha, uma transmissão ao vivo por vídeo ou podcast para público espectador; e 3) Fórum líderes, voltado a diretores e CEOs, com um resumo dos principais tópicos do evento. 

Os ingressos para o Open Food Innovation Summit 2020 já estão no segundo lote, à venda através da plataforma InEvent. Lá, será possível ver e rever as palestras, além de compartilhar informações e opiniões em blocos de interação. 

QUEM FALARÁ SOBRE OS TEMAS:

1) Network 4.0: a reestruturação sustentável de toda cadeia produtiva

João Alexandre Carvalho é o executivo responsável pela inovação na América da Latina da Cargill – a maior empresa do mundo de alimentos. Vai mostrar as novas conexões da cadeia de abastecimento aceleradas pela tecnologia neste momento, permitindo que alimentos melhores e mais saudáveis cheguem às empresas e consumidores.

Emilio Sepulveda é cofundador da Natural Machines, empresa de Barcelona, na Espanha, que desenvolve impressora 3D para alimentos. A solução é capaz de imprimir receitas mais saudáveis, saborosas e com novos formatos. Sepulveda é um ícone em Food Design.

Mariana Vasconcelos é cofundadora da AgroSmart, a principal plataforma de agricultura digital da América Latina, considerada pioneira tecnológica pelo Fórum Econômico Mundial. Mariana é uma das jovens mais inovadoras do mundo com menos de 35 anos (MIT); under 30 (Forbes) e uma das 100 mais criativas (Fast Company). Nacionalmente, é considerada uma das 100 pessoas mais influentes do agronegócio (Revista Dinheiro Rural).

Maurício De Bortoli, engenheiro agrônomo e gerente técnico da Sementes Aurora, voltada para a produção de sementes de alta qualidade, sem prejuízo à natureza. Equilibra tecnologia, manejo e conhecimento técnico. Foi Bicampeão Nacional de produtividade no CESB categoria irrigada 2013/2019 e Campeão Região Sul de produtividade no CESB categoria sequeiro 2016.

2) Hiperlocal: revolução mais perto do que você imagina

Manu Buffara, chef e proprietária do Restaurante Manu de Curitiba, reconhecido pelo World’s 50 Best. Usa ingredientes orgânicos de fornecedores selecionados e que cultivam em sua própria horta. Trabalha com as comunidades locais para transformar espaços abandonados em hortas urbanas e educando moradores sobre cuidado de hortas e alimentação saudável. Seu mais novo restaurante é o ELLA, em Nova Iorque.

Rodrigo Farina, empreendedor no ramo de agricultura sustentável no ambiente urbano, é CEO da startup de agtech, Brota Company, empresa lançada em 2020, que inovou na maneira de cultivar alimentos. Comercializa hortas inteligentes e autônomas que permitem que qualquer um possa plantar uma horta com até 9 espécies diferentes e controles digitais em sua cozinha, de maneira fácil e limpa.

Guilherme Moreira, é líder da Marvella Farms, um oásis com 30 fazendas protegidas em Djibouti, no deserto africano. O projeto utiliza a mais recente tecnologia hidropônica para fornecer produtos frescos e cultivados localmente durante todo o ano, resolvendo o problema de acesso a alimentos nutritivos e baratos. Com a produção, a expectativa é abastecer a cidade de Djibouti e outras da África, ajudando o continente a superar o déficit alimentício. Em fase de implementação, a previsão é iniciar operações em dezembro.

3) Rebuild: tendências de comportamento que vieram para ficar / conexões e colaboração

Vanessa Huguini, publicitária e especialista em branding gastronômico com mais de dez anos de atuação a frente de negócios e desenvolvimento de marcas no setor. É fundadora da Food-se, que ajuda as marcas a descobrirem quem são e como comunicar seus propósitos. Neste ano, fez parte do time que inaugurou o primeiro restaurante preparando para o pós pandemia, no Rio de Janeiro, em conjunto com a apresentadora Fernanda Gentil.  

Luiz Augusto Silva, presidente da The Not Company (NotCo) no Brasil, maior startup de foodtech da América Latina e financiada pelo Jeff Bezos da Amazon. Cria produtos alimentícios inovadores e disruptivos a partir da combinação de inteligência artificial e ciência molecular aplicada. Luiz vai trazer o impacto causado em suas operações e como a Inteligência Artificial ajudou a acelerar as novidades para este momento. Antes de se juntar à NotCo, trabalhou por 13 anos no grupo Danone, foi presidente de uma das empresas do grupo na Argentina e também diretor da unidade de bebidas vegetais e leite longa vida da Danone no Brasil.

Ethan Soloviev é agricultor orgânico e diretor de inovação da HowGood.com, onde gerencia o maior banco de dados de sustentabilidade de produtos do mundo: 127 atributos de impacto em 33.000 ingredientes únicos e 1.000.000 de produtos Sua pesquisa para empresas de varejo e bens de consumo da Fortune 100 combina experiência agrícola no solo com insights de mercado, orientados à sustentabilidade para detectar tendências emergentes e dissecar o cenário competitivo.

Juliana Glezer, coordenadora de Inovação da Nestlé Engenharia de Alimentos, com especialização na AgroParisTech, na França, e em Administração de Empresas na BTCIntegra. Na Nestlé, ajuda a estimular ideias e ações inovadoras, oferecendo produtos, serviços e modelos de negócios com foco na melhor experiência para o consumidor.

David Hertz, chef empreendedor social brasileiro, condecorado com o Prêmio Charles Bronfman em 2019. David foi pioneiro ao criar uma maneira de usar a gastronomia para transformar a vida de pessoas em vulnerabilidade socioeconômica. Ele é o co-fundador da Gastromotiva, uma organização social brasileira que oferece educação gratuita e oportunidades usando a comida – do desperdício de alimentos à capacitação profissional – como meio de mudança para “gerar inclusão para aqueles que vivem à margem da sociedade”. Já formou mais de 5.500 alunos.

4) Delivery: A aceleração do supermercado digital

Rodrigo Kronbauer, cofundador da Local Farmers, que conecta produtores rurais de alimentos orgânicos diretamente com a demanda das cidades de Porto Alegre e Canoas, no Rio Grande do Sul. Trará um panorama sobre a relação que temos com o alimento, do campo à mesa, além da importância da valorização do produtor rural, o impacto positivo de consumir alimentos produzidos localmente e com origem certificada. Falará também sobre novos comportamentos (que tendem a ficar) do período de pandemia.

Luciana Vaz é Head de Soluções Sustentáveis do iFood. Possui 10 anos de experiência como gerente de Planejamento Estratégico e PMO Corporativo, não somente no Brasil, mas também no Canadá. É especializada na implementação de processos para garantir execução, aderência ao plano estratégico, governança e visibilidade do nível executivo ao usuário final. Vai falar como crescer ajudando todos os participantes da cadeia mais impactada na pandemia.

Andrea Rosen é a Smart City Lead para a Infarm, empresa alemã fundada por israelenses que cultiva produtos dentro de supermercados. Encontrou uma miríade de outras startups de tecnologia urbana e viu um ecossistema que estava crescendo organicamente em Berlim. A Infarm oferece serviços agrícolas sob demanda para fornecer às comunidades urbanas produtos frescos e nutritivos, distribuindo fazendas verticais inteligentes por toda a cidade. Cada fazenda hidropônica é monitorada e controlada através de uma plataforma agrícola central que pode ajustar o ambiente em crescimento para garantir que cada planta tenha condições de prosperar.

Juliano Hauer, COO da James Delivery, startup adquirida pelo grupo Pão de Açúcar que implantou sistema de delivery no varejo do gigante brasileiro, transformando o impacto do COVID 19 para os consumidores e permitindo uma experiência mais rápida e segura na aquisição das compras semanais.

Julia Curan, consultora na WGSN Mindset LATAM que lidera projetos customizados para empresas de diferentes segmentos do mercado. Lançará no evento a nova área da WGSN, voltado ao setor de alimentos e bebidas.

5) Zero %: Aproveitamento máximo de insumos contra o desperdício

Natália Pietzsch, cofundadora da startup ARCO – Ações para Reciclagem e Compostagem – que realiza a coleta e melhor destinação dos resíduos gerados em restaurantes, bares e hotéis. Engenheira ambiental, é doutoranda em engenharia de produção e atua há 4 anos como empreendedora social. Já foi palestrante do TEDx e reconhecida pelos prêmios: Boas Ideias Sustentáveis (2016), Jovem Empreendedora Social (2017) e Young Leaders of Americas Initiative YLAI (2020).

Barbara Mattivy, fundadora da Insecta Shoes, marca de calçados e acessórios veganos e ecológicos. 1ª marca de calçados do Brasil a se tornar empresa B e a trabalhar com o Pinatex, tecido semelhante ao couro feito de folhas do abacaxi. Empreendedora desde os 15 anos, acredita no futuro do capitalismo consciente e em relações de negócios ecocentradas e de ganha-ganha.

Alessandro Gardemann, administrador pela EAESP- FGV com atuação no mercado financeiro. Em 2008, fundou a Geo Energética e, desde então, tem se dedicado ao Biogás. Foi um dos fundadores e é atualmente presidente da Associação Brasileira do Biogás (ABiogás). A startup Geo Energética mostrará que da sobra da BIOMASSA, é possível gerar eletricidade capaz de atender fábricas e casas de uma região inteira. Essa energia é limpa e renovável, sem impactar as pessoas e o meio ambiente. 

6) Food Care: a comida que cuida

Renata Ramos, doutora em Química Biológica, coordena o Instituto Tecnológico em Alimentos para a saúde- Itt-Nutrifor/Unisinos que, a partir de projetos de pesquisa e inovação em alimentos, ajuda a solucionar demandas empresariais e contribuir a qualidade de vida da população.

Pedro Schestatsky é médico neurologista, professor, pesquisador, palestrante, escritor e empreendedor de novas tecnologias em Medicina. Ficou nacionalmente conhecido após sua palestra TEDMED ao argumentar que a tecnologia não irá substituir os médicos no futuro, mas, sim, empoderar os pacientes para que cuidem melhor de si mesmos. Defende que a Medicina do Futuro será também chamada de Medicina dos 5Ps: preditiva, preventiva, personalizada, proativa e parceira.

Raquel Abegg Leyva é CEO da TAO Kombucha, 1ª brewery registrada e com certificação orgânica no Brasil. A empresa – que produz o refrigerante do bem – cresceu mais de dois dígitos e aumentou sua capacidade produtiva para atender o aumento desse consumo de produtos que são realmente saudáveis. Antes de empreender na TAO, atuou por 9 anos em uma startup de cosméticos nos EUA. É uma entusiasta da alimentação saudável.

Tobias Chanan foi empreendedor, depois virou executivo, tornando-se CEO da The Body Shop, negócio que foi comprado pela Natura por 1 bilhão de euros. Em 2014, encarou novamente o desafio de criar e escalar um negócio: a Urban Farmcy, foodtech com restaurante, fazendas urbanas, ensino a distância, e agora uma indústria de alimentos saudáveis e sustentáveis, que serão apresentados no evento. 

SOBRE O OPEN FOOD INNOVATION SUMMIT 

O maior evento da América Latina sobre inovação e tecnologia em toda a cadeia de alimentos. Organizado por Open Food Institute (https://openfoodinstitute.com/) e Inventa Evento (http://www.inventaevento.com.br/), reúne todos os elos da cadeia do alimento no Brasil: desde a produção, passando pela indústria, as tecnologias empregadas no processo e os resíduos. A primeira edição ocorreu em 2019 na cidade de Porto Alegre/RS e reuniu mais de 600 participantes, entre empresários, CEOs, estudantes e painelistas. Mais em: https://www.instagram.com/openfoodinstitute/

SERVIÇO

O que: Open Food Innovation Summit 2020

Quando: 14 e 15 de outubro de 2020

Site + ingressos: bit.ly/2YRf0Gk

Estudantes: 50% desconto / Ingressos corporativos: 30% desconto

Siga o GRS no Instagram